domingo, abril 19, 2015

Quem nunca?






Sabe aquela semana em que você vai todos os dias para o trabalho, e pensa em voltar pra casa sem mesmo ter começado a trabalhar? Ou aquele dia em que você estava desanimado, foi surpreendido no trabalho e isso lhe motivou a seguir em frente, por toda a semana?
Lembra-se daquele emprego que era tão almejado, e você pensava que seria aquele o local para conquistas grandiosas, mas, quando entrou, viu que também havia pessoas desanimadas, do mesmo jeito como em seu emprego anterior? Ou, ainda, no lugar em que você não gostaria de estar, mas, por falta de opções, precisou passar uma temporada e descobriu pessoas que ganhavam menos do que você e que, muitas vezes, trabalhavam mais; entretanto, quando se olhava para a pessoa em seu canto trabalhando, ela estava cantarolando – algumas vezes as cantorias até te irritaram –, e você vê que ainda há esperança e pessoas que lutam bravamente pelo pão de cada dia?

Que as Situações do Dia a Dia Não Roube Nossos Sonhos.
Em minha profissão – cozinheiro por opção –, deparei-me com todas essas situações e acredito que vou encontrar tantas outras que serão agregadas às minhas memórias e que ficarão registradas como tatuagens: por mais que venham a ficar meio apagadas ou borradas, por mais que o tempo tente removê-las, elas não sairão.
Dou um exemplo: certa vez, presenciei um cozinheiro – excelente por sinal –, em um período de estresse, perder o controle, parar o serviço e chutar a parede incontáveis vezes. Quando algo dava errado, ele tornava a bater na porta do forno e soltava, praguejando, um monte de palavrões.
Mas quem nunca?
No dia em que nada dá certo, mesmo sem reagir verbal ou fisicamente, em sua mente você já xingou todos e mais um bocado, quando não, pior, matou-os mentalmente!!!
O ato de cozinhar carrega consigo as suas mágoas e as suas alegrias. Um chef, certa vez, comentou comigo: "Essa comida está sem alegria". Confesso que, no momento, não compreendi, mas faz todo o sentido hoje pra mim. Isso foi num período em que estava muito desanimado com o que eu estava fazendo e onde eu estava.
Quando se faz o que gosta, sem dúvidas, o resultado sai da melhor forma possível. Por outro lado, isso não impede que um dia ruim traga problemas e coisas que dão errado.
Que saibamos nos reinventar nesses dias "ruins". Que aprendamos com os que ganham menos e, ainda assim, carregam consigo um sorriso e satisfação no que fazem. Que sigamos em frente em nossos objetivos, influenciando mais que sendo influenciados por pessoas que seguem sem rumo e fazem por fazer.


Que com o suor do rosto seja trazido para casa o sustento e a satisfação!
Agora eu te pergunto: quem nunca?

Não esqueçam de comentar e compartilhar, isso faz uma grande diferença!
 Até a próxima.
Meu email é alanalves_19@hotmail.com


terça-feira, abril 14, 2015

Porque Você Come Orgânicos?













Seria o Tal Raio Gourmetizador?
Seria mais uma desculpa de encarecer os pratos, efeito do tal raio “gourmetizador” que está na moda?!
A grande verdade é que, para manter uma alimentação de qualidade, não significa necessariamente que tudo tenha que ser do mais caro do mercado.  Temos muito essa visão de que, se é caro, sem dúvida é o melhor. Mas isso não se aplica em sua totalidade na gastronomia, pelo menos não sob meu ponto de vista.
 
 
No Brasil e no mundo, cresce o número de pessoas dispostas a pagar um extra para colocar no carrinho do supermercado alimentos produzidos sem agrotóxicos, mas nem todos argumentos associados a essa tendência de consumo são baseados em fatos científicos.
Um estudo da Universidade Stanford, nos EUA, comprovou que orgânicos não possuem de fato mais vitaminas do que os alimentos cultivados de maneira convencional. Em uma pesquisa realizada por uma empresa global, a Nielsen Company, foi observado que mais da metade das pessoas (51%) colocavam esses produtos em suas listas, acreditando serem uma opção mais nutritiva.
Vemos cada vez mais os produtos orgânicos em prateleiras de supermercados, lojas gourmet, etc. Mas até que ponto as qualidades destacadas nesses produtos fazem sentido? O que gastamos faz jus ao que adquirimos?



Com Qual Deles Ficar?

 

São mais saudáveis?

Após revisar 237 pesquisas sobre orgânicos, cientistas da Universidade Stanford não acharam diferenças significativas de valores nutricionais entre esses alimentos e os convencionais. Mas, de certa maneira, eles encontraram mais resíduos de pesticidas na produção não orgânica, ainda que geralmente dentro dos limites permitidos (isto é, em níveis que estudos estabeleceram como seguros para a saúde do consumidor).

São mais gostosos?

Outro estudo aplicado pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq - USP), em Piracicaba (SP), mostrou diferenças, ainda que sutis, no teor de açúcar, na cor e na textura de morangos orgânicos em relação aos de agricultura convencional. Mas testes cegos feitos com base apenas na percepção do paladar não apontam, nem com morangos, nem com outros alimentos, diferenças significativas nesse quesito.

Valem quanto pesam?

Uma vez que a quantidade de produtores é menor em relação à demanda, os custos são mais altos, pois a produtividade é menor e os produtos são sazonais. Uma das possibilidades citadas por uma engenheira agrônoma foi: "É preciso haver políticas de incentivo e informação para o consumidor por meio de redução de impostos para produtores e vendedores. Se isso foi feito para carros, por que não fazer para alimentos orgânicos? "

São para todos?

É difícil conceber um futuro em que orgânicos alimentem toda a população mundial. Atualmente, “apenas 1% da agricultura mundial é orgânica”, diz Tom Standage, editor de negócios e tecnologia da revista The Economist e autor do livro “Uma História Comestível da Humanidade”. No livro, ele argumenta que os fertilizantes sintéticos, ao aumentar a disponibilidade de nitrogênio como nutriente para plantas, foram responsáveis por aumentar a produção de alimentos, diminuindo as mortes por fome e impulsionando o crescimento populacional. Para abrir mão desses compostos químicos e substituí-los por estrume, precisaríamos de muitos animais, que ocupariam muita terra que deixaria de ser usada para o cultivo de alimentos.


Como Alimentar o Mundo Todo Com Orgânicos?

De fato, ao comprar orgânicos, você desestimula o uso excessivo de defensivos agrícolas e cuida da saúde de quem produz seus alimentos, diminuindo a exposição do trabalhador rural a agrotóxicos. "Se o orgânico sai mais caro na ponta, com o convencional a sociedade pagará a diferença mais para frente", afirma o engenheiro agrônomo José Pedro Santiago. Segundo ele, a fatura virá na forma de serviços de despoluição, tratamento de doenças, desassoreamento de rios e lagos e recomposição do solo, da fauna e da flora.

Os Produtos Devem Ter Esta Logo.

Então, com tudo isso, estaríamos em um impasse? O que comemos com essa visão mais saudável é equivalente ao que comemos de maneira desregrada? Repensemos nossos conceitos.





Não esqueçam de comentar e compartilhar, isso faz uma grande diferença!
 Até a próxima.
Meu email é alanalves_19@hotmail.com




 Fonte: Revista Super Interessante


segunda-feira, abril 06, 2015

Queijaria Capril DeVille.







Sem dúvida, uma das melhores coisas que poderia ter acontecido para o blog em termos gastronômicos. A queijaria Caprill DeVille, empresa que está no ramo desde 2004, resolveu nos presentear com seus produtos, que, diga-se de passagem estão de parabéns.

E com muita satisfação, resolvemos fazer receitas com os produtos recebidos. Produtos de extrema qualidade, com sabores diferenciados, recomendados para todos que procuram um toque diferencial em suas receitas.
Seus produtos fazem parte de couvert e pratos de restaurantes em destaque, como:


CT Trattorie (Jardim Botânico)
CT Brasserie (São Conrado)
CT Boucherie (Leblon)
Miam Miam
Oui Oui

Olympe (Jardim Botânico)
 


Um pouco sobre a empresa :

O Capril


O Capril DeVille começou em 2004 em Mauá. Hoje suas instalações estão localizadas na região rural de Secretário, região serrana do Rio. Os animais que possuem são da raça Saanen, de linhagem francesa e canadense.

  

O Manejo Orgânico

As cabras são criadas nas montanhas onde são servidas de água pura e alimentação sadia em abundância. Devido a isso os animais produzem um leite com sabor especial.  A homeopatia e a fitoterapia são usadas como uma alternativa para tornar ainda mais natural o manejo dos animais.


Os Queijos

A queijaria produz hoje queijos frescos. São eles:
Chèvre à l’Huille com pimenta rosa ou com ervas de Provence, que são pequenas bolinhas de queijo no azeite extra virgem;
Boursin com sementes de gergelim, que tem um bonito efeito branco e preto quando cortado;
Boursin com ervas de Provence ou alho, cremosos e muito saborosos e;
Boursin natural, que pode ser temperado de acordo com o gosto do chef.

Com tudo isso que a queijaria oferece, a proposta era utilizar os produtos recebidos e fazer algo que todos pudessem reproduzir em casa. Nós do Prove Deguste Sonhe (PDS), então fizemos algumas receitas que serão postadas aqui no de correr da semana.
E a primeira receita escolhida foi o Contra-Filé e Risotto de Queijo Boursin com ervas de Provence.

 

Risoto de Queijo de Cabra

Ingredientes:

Para o risoto:
400g de arroz arbório
1 litro do caldo de sua preferência (legumes ou frango são os melhores)
1 e 1/2 copo de vinho branco (caso não tenha, utilizar somente água mesmo)
3 colheres de sopa de manteiga sem sal
1 cebola grande picada em brunoise
Sal a gosto
200g de queijo de cabra Boursin com ervas de Provence ou natural do Capril DeVille

Modo de preparo:

Doure a cebola na manteiga, acrescente o arroz e deixe fritar por alguns segundos até que o arroz comece a ficar transparente. Adicione o sal. Acrescente o vinho branco e misture até que o álcool evapore. Caso não tenha o vinho branco, acrescente o caldo aos poucos, sempre misturando até que o líquido quase seque. Quando o arroz estiver no ponto, acrescente o queijo de cabra, uma colher de manteiga,  corrija o sal. Misture e tampe a panela por alguns segundos para deixar os ingredientes se impregnarem. O tempo total de cozimento do arroz deve ser de 20 min.

Carne:
Tempere um bife com sal e pimenta e grelhe em uma frigideira bem quente com uma colher de manteiga.  Após o cozimento, coloque 4 colheres de vinagre tinto ou balsâmico na frigideira para ajudar a tirar o que ficou preso na fritura, mexa até encorpar um pouco. Utilize esse caldo por cima do bife quando for servir.



Contra-Filé e Risotto de Queijo Boursin com ervas de Provence.



Contatos






As receitas do Prove Deguste Sonhe agora estão com mais um produto de qualidade!



Não esqueçam de comentar e compartilhar, isso faz uma grande diferença!
 Até a próxima.
Meu email é alanalves_19@hotmail.com